quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Antologia Poética - Manuel Bandeira

Estou lendo o livro Antologia Poética de Manuel Bandeira e selecionei alguns poemas.

EPÍGRAFE

Sou bem-nascido. Menino,
Fui, como os demais, feliz.
Depois, veio o mau destino.
E fez de mim o que quis.

Veio o mau gênio da vida,
Rompeu em meu coração,
Levou tudo de vencida,
Rugiu como um furação,

Turbou, partiu, abateu,
Queimou sem razão nem dó-
Ah, que dor!
Magoado e só,
- Só - meu coração ardeu.

Ardeu em gritos dementes
Na sua paixão sombria...
E dessas horas ardentes
Ficou esta cinza fria.

- Esta pouca cinza fria...

CHAMA E FUMO

Amor - chama, e, depois, fumaça...
Medita no que vais fazer:
O fumo vem, a chama passa...

Gozo cruel, ventura escassa,
Dono do meu e do teu ser,
Amor - chama, e, depois, fumaça...

Tanto ele queima! e, por desgraça,
Queimado o que melhor houver,
O fumo vem, a chama passa...

Paixão puríssima ou devassa,
Triste ou feliz, pena ou prazer,
Amor - chama, e , depois, fumaça...

A cada par que a aurora enlança,
Como é pungente o entardecer!
O fumo vem, a chama passa...

Antes, todo ele é gosto e graça,
Amor, fugueira linda a arder!
Amor - chama, e , depois, fumaça...

Porquanto, mal se satisfaça
(Como te poderei dizer?...),
O fumo vem, a chama passa...

A chama queima. O fumo embaça.
Tão triste que é! Mas... tem de ser...
Amor?... chama, e, depois, fumaça:
O fumo vem, a chama passa...

Um comentário:

Juliana disse...

Adoro Manuel Bandeira...um dos meus escritores favoritos

beijos da @CoisasDaJujuba

http://coisas-jujuba.blogspot.com.br/2013/01/1-vlog-do-coisas-da-jujuba-no-ar.html